Differences

This shows you the differences between two versions of the page.

Link to this comparison view

ser300:comentarios_maria_rita [2012/04/03 19:24] (current)
miguel created
Line 1: Line 1:
 +====== COMENTÁRIOS ====== 
 +\\ 
 +---- 
 +[03/04/2012 - Miguel] 
 +  Oi Maria Rita. 
 +  Esta é uma área e assunto direto de meu interesse e do grupo que trabalho. 
 +  Estamos hoje envolvidos diretamente com tres projetos (FAPESP TEMATICOS)e um 
 +  PosDoc aqui no INPE. 
 +  E oriento junto com Flavia Feitosa uma dissertacao ( no SR) exatamente na redefinicao do pensar  
 +  a questao da Vulnerabilidade para um viés socioterritorial,​ estendendo ​ os conceitos de  
 +  Moser e Kaztman. 
 +  [ ANAZAWA, T. M.; FEITOSA, F. F.; MONTEIRO, A. M. V. Indicadores Territoriais de Vulnerabilidade Socioecológica:​  
 +  Uma Proposta Conceitual e Metodológica e sua Aplicação para São Sebastião, Litoral Norte Paulista.  
 +  In: MARANDOLA JR., E. e OJIMA, R. (Eds.). Mudanças Climáticas e as Cidades: População,​ Urbanização e Adaptação. 
 +  (No prelo) Publicação prevista para setembro, 2012 ] 
 +  A escala municipal é problematica. 
 +  Veja artigo mais recente do Biro ( Humberto na REBEP) 
 +  Alves, H.P.F. et al. Dinâmicas de urbanização na hiperperiferia da metrópole de São Paulo e das  
 +  situações de vulnerabilidade socioambiental em escala intraurbana 
 +  R. bras. Est. Pop., Rio de Janeiro, v. 27, n. 1, p. 141-159, jan./jun. 2010 
 +  Acho que tb um tres bons trabalhos para apoiar sua discussao que em que uma revisao muito boa  
 +  da questao da Vulnerabilidade é feita são : 
 +  ADGER, W. N. Vulnerability. Global Environmental Change, v. 16, n. 3, p. 268-281, ​ 2006.    
 +  HOGAN, D. J.; MARANDOLA JR., E. Towards an Interdisciplinary Conceptualization of Vulnerability. Population, Space and Place, v. 11, p. 455-471, 2005.    
 +  TURNER II, B. L. et al. Illustrating the coupled human-environment system for vulnerability analysis: Three case studies. PNAS, v. 100, p. 14, 2003. 
 +  Temos tb , eu e Flavia um trabalho recente situando esta questão no campo teorico e metodologico:​ 
 +  FEITOSA, F. F.; MONTEIRO, A. M. V. Compartilhando ideias frente a um futuro climático incerto:  
 +  Vulnerabilidade e modelos de simulação como estratégias mediadoras. Revista Geografia , 2012, Se vc se interessar. 
 +  Com isso acho que vc poderia pensar em trabalhar a questão a partir de um recorte que envolva mesmo o setor censitário,​ 
 +  Mas problema é que voce não terá os dados por setor necessários a sua análise, pois eles nao estao ainda disponiveis ( as variaveis que vc precisaria)! 
 +  Acho que uma opcao seria vc ler mais , situar a discussao e tvz repetir um experimento para uma 
 +  area que vc conheca e tenha os dados, mesmo que do censo de 2001 somdos a contagem de 2007. 
 +  Pode repetir a metodologia do Biro e fazer uma analise critica como por exemplo onde ela pode evoluir. 
 +  OU concentrar-se em mapas de perigos , mais faceis conceitualmente,​ e de riscos, um pouco mais complexos,​ 
 +  uma vez que nem todo perigo leva ou determina os mesmos riscos. 
 +  É preciso pensar para definir o escopo do seu trabalho. 
 +  Talvez uma conversa com Eymar Lopes possa te ajudar!! 
 +  Um abraco 
 +  Miguel 
 +   
 +  ​