Differences

This shows you the differences between two versions of the page.

Link to this comparison view

ser300:comentarios_para_izabel_-_miguel [2008/04/15 12:21] (current)
miguel created
Line 1: Line 1:
  
 +
 +  Oi Izabel,
 +  Ótimo começo.
 +  Gostaria que voc6e se concentrasse agora em produzir com mais precisão ​
 +  o seguinte:
 +  1 - Sua Pergunta básica
 +  2 - Suas Premissa para o trabalho
 +  3 - Sua Hipótese
 +  4 - Um desenho inicial de sua estratégia metodológica ( em geoproc)
 +      para começar a responder a questão. Ou seja o desenho do 
 +      seu - experimento - em laboratório,​ ou seja seu mundo no computador
 +      com o uso do Geoproc.
 +  Neste período precisamos que você ganhe:
 +  1 - Capacidade de expressão escrita com precisão;
 +  2 - Monte seu primeiro BDG para estudos epidemiológicos para dengue
 +      (O primeiro BDG a gente nunca esquece!)
 +  3 -Isto quer dizer: ​
 +      a - ter um Esquema apropriado em OMT-G
 +      b - ter uma descrição dos seus dados
 +      c - Ter descrição de dados gerados a partir de dados 
 +      primários e secundários atrvés de procedimentos sobre o BDG 
 +       via um SIG. ( exemplo - declividade)
 +  4 - Com isso ganhamos muito tempo e você aprendizado ​
 +      sobre as ferramentas que vai precisar usar.
 +  5 - isto precisa ser feito sem perder a perspectiva do problema
 +  6 - Ou seja , o que vai ficar de fora é Tão ou mais importante que
 +      o que estará dentro,. É o que vai permitir uma análise
 +      crítica para os resultados da experi6encia com o geoproc.
 +  Belo começo,
 +  Um abraço
 +  Miguel
 +
 +      ​
 +
 +
 +O município do Rio de Janeiro nos últimos meses desse ano tem vivido uma situação de emergência no âmbito da saúde pública, com a explosão de casos de dengue principalmente em crianças. Até o momento foram registrados pela secretária de saúde do município 45.463 casos e 44 óbitos o triplo de casos registrado em 2007. Um dos principais problemas para o aumento da doença apontado por Tauil, 2001 é a irregularidade no sistema de saneamento básico, como a coleta de lixo e o abastecimento de água, originado deste o período de forte migração propiciando o crescimento acelerado e desorganizado das cidades. Tal situação contribui para o aumento de recipientes de estocagem de água e no destino inadequado dos materiais que constituem fatores de risco para a proliferação do mosquito vetor da doença Aedes aegypti. O objeto desse trabalho é verificar se as condições socioeconômicas vivida pela população do município do Rio de Janeiro principalmente nas áreas de maior incidência da doença tem contribuído para o aumento e disseminação da doença. Associando também a algumas características ambientais como a presença de córregos, áreas arborizadas nos bairros com altas taxas de incidência de dengue.
 +
 + Para a realização desse trabalho serão utilizados os 
 + ​bancos de dados fornecidos pela Gerencia de Vigilância ​
 + ​epidemiológica do Rio de Janeiro contendo os casos confirmados
 + ​laboratorialmente de dengue e os óbitos ocasionados pela doença ​
 + entre os anos 2006-2008, e as informações do censo de 2002 como 
 + ​renda,​ grau de escolaridade,​ sistema geral de esgoto, ​
 + ​abastecimento de água, coleta de lixo, disponibilizado ​
 + pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
 + Os casos de dengue serão georreferenciados com base no 
 + mapa da malha de arruamento do IBGE.