Resumo dos Trabalhos

Segunda-feira - 02/09/2013 - 08:00 as 10:00, Auditório da OBT

Extração de atributos utilizando a extensão espacial PostGIS Raster para caracterização de objetos de desmatamento

Adeline Marinho Maciel
Para tratamento e obtenção de informações das imagens são utilizados sistemas de processamento de imagens que contemplam operações como aquisição, armazenamento, processamento e visualização. Por sua vez, a operação de processamento pode envolver diferentes etapas como pré- processamento, segmentação, extração de atributos, seleção de atributos e classificação. A extração de atributos é responsável pela mensuração dos atributos dos objetos que pertencem a uma determinada imagem em estudo, que são utilizadas para identificar uma classe de padrão. Assim, extrair características (atributos) significa extrair medidas associadas ao objeto que se deseja reconhecer, de maneira que essas medidas sejam semelhantes para objetos iguais e diferentes para objetos distintos. Diante deste contexto, este trabalho visa utilizar funcionalidades da extensão espacial PostGIS Raster, do PostGIS, para realizar a extração de atributos (perimeter, shape, frac, circle, …), em imagens de sensoriamento remoto, especialmente, em dados de desmatamento.

Análise de desempenho do PostGIS em simulação discreta de conflitos aéreos

David de Souza França
Esta análise visa utilizar a extensão PostGIS como ferramenta de cálculo para determinar posicionamentos e abrangencias de objetos numa simulação discreta de conflitos aéreos e determinar num comparativo com as ferramentas atualmente utilizadas de calculos geodésicos, qual possui o melhor desempenho. O comparativo deve estabelecer se é preverível utilizar a arquitetura atual, onde os dados estão alocados em memória e os calculos são feitos através da ferramenta geodesy, da Apache Software ou se é mais vantajoso armazenar tais dados em um banco de dados espacial e utilizar a extensão PostGIS para efetuar tais calculos. Uma das razões para estabelecer este compartivo é a grande quantidade de cálculos e objetos presentes na simulaçãom, onde tem-se em média mais de 100 objetos se movimentando e mais de 3000 calculos de posicionamento por segundo.

Caracterização dos usuários de aplicações Web baseada em informações geográficas

Leandro Guarino de Vasconcelos
Diariamente, grande parte das pessoas no mundo utiliza a Web para realizar sua atividades, seja para negócios, entretenimento ou educação. Consequentemente, as aplicações disponíveis na Web são acessadas por usuários com diferentes experiências de navegação, perfis, formações e conhecimentos. Nesse contexto, fornecer uma forma de interação única para todos os diferentes usuários não é algo plausível, por isso diversas pesquisas tem sido realizadas sobre personalização de aplicações Web e usabilidade de interfaces Web. A proposta deste trabalho é desenvolver uma abordagem para caracterizar os usuários de aplicações Web considerando a localização geográfica e a forma como interagem com as aplicações. Para isso, serão usadas técnicas de mineração de dados e exploração de logs coletados durante a interação dos usuários. A caracterização dos usuários objetiva contribuir para a personalização de aplicações Web tanto para o oferecimento de produtos e serviços específicos como para a melhoria da experiência do usuário na interação com a interface.

Implementação de um Serviço Web baseado no padrão SOS para visualizar series temporais

Mariam Felicia Acuña Gomez
Os sistemas de sensoriamento remoto coletam dados de diferentes tipos de sensores. Os dados coletados pelos sensores precisam ser armazenados em bancos de dados geográficos para sua posterior utilização. Cada sensor utiliza diferentes sistemas de hardware e software. A interoperabilidade dissos dados é garantida pela utilização de padrões da Open Geospatial Consortium (OGC). O padrão Sensor Observation Service (SOS) define uma interface de serviços web, isto é como serão feitas consultas das observações, metadatos dos sensores e as representações das observações. O objetivo deste trabalho é implementar um serviço web baseado no padrão SOS utilizando a ferramenta 52north para administrar e visualizar series temporais obtidas de diferentes sensores. O sistema permitirá adicionar novos sensores ou remover além de permitir monitorar uma região especifica.

Utilizando o Framework Graph no Armazenamento e Processamento de Dados de Origem e Destino

Marcio Azeredo
A construção geográfica do espaço pode ser compreendida como um conjunto de fixos e fluxos (Santos, 2006), onde os fixos representam os lugares, e os fluxos os seus relacionamentos. Por sua vez, os custos associados ao estabelecimento dessas relações podem ser estruturados na forma de grafos, por intermédio de matrizes de adjacência (origem e destino) armazenadas em arquivos. Existe ainda a possibilidade de utilização de modelos de dados específicos, otimizados para persistir esses grafos em banco de dados. Um desses modelos foi proposto por Abreu (2013) com o intuito de armazenar e manipular diferentes tipos de grafos em banco de dados geográficos, não sendo naquela oportunidade validado com matrizes de origem e destino. Sendo assim, o objetivo deste trabalho é validar o referido modelo, analisando o comportamento do mesmo ao tratar com as referidas matrizes. Para tal, serão utilizados os dados produzidos na Pesquisa da Companhia do Metropolitano de São Paulo (OD/2007), que contém informações de viagens realizadas pela população da metrópole de São Paulo, em um dia útil típico. Ao fim do trabalho, espera-se identificar eventuais possibilidades de melhora no modelo proposto, considerando as particularidades do dado avaliado.

Título (???)

Edney Soares Trindade
Será desenvolvido um sistema mobile com tema de seguro de automóveis, dividido em três aplicações distintas que envolvem: uma aplicação mobile para rodar no smatphone do cliente, chamado de segurado; uma aplicação mobile para rodar no smartphone do prestador de serviço do seguro, denominado reboque; uma aplicação web que proverá serviços às aplicações do segurado e do reboque. O fluxo principal da aplicação se dá da seguinte forma: de posse do aplicativo, o segurado informa o número do seguro, valida seus dados e passa a usar a aplicação. Sempre que necessário, o mesmo aciona o seguro abrindo uma ocorrência com os dados de sua localização, o seguro (web service) processa a ocorrência e informa aos reboques mais próximos. O primeiro reboque a assumir o chamado recebe o endereço e processa todos os trâmites para o atendimento.

Título (???)

Alexsandro Cândido de Oliveira Silva
Uma imagem de satélite contém muitas informações. Entretanto, quanto maior a região sob estudo maior será o tamanho do arquivo. O armazenamento se torna mais restrito quando se tem imagens multitemporais e de diversas áreas. A DPI tem à disposição um Servidor de Imagens para acesso local que conta com uma interface web. Esta interface permite consultas básicas como proprietário, sensor, data. A proposta é associar ao que se tem hoje um banco de dados espacial para consultas através de metadados de acordo com as normas e padrões da CONCAR para a INDE. Também serão inseridos dados como rodovias, limites municipais e estaduais do Brasil para que se possam realizar consultas espaciais entre estes dados e as imagens armazenadas. A interface web do servidor de imagens é implementada em PHP, para realização deste trabalho, sugere-se associá-la ao banco de dados PostgreSQL e a extensão espacial PostGIS para consultas e visualizações.

Quarta-feira - 04/09/2013 - 08:00 as 10:00, Auditório da OBT

Análise de Vulnerabilidade do terreno a escorregamentos de massa em sub-bacias hidrográficas do norte de Argentina usando um banco de dados geográficos

Claudia Paola Cardozo
Os escorregamentos de massa são uma das principais catástrofes naturais que causam danos significativos à vida humana, propriedade e projetos de engenharia em todas as zonas de montanha do mundo. Em 2011, os escorregamentos em massa junto com inundação (desastres hidrológicos), tiveram a maior participação (52,1%) nas ocorrências dos desastres naturais em todo o mundo. Dada a importância destes processos, propõe-se o projeto e a implantação de um protótipo de um Sistema de Gestão de Dados e Informações (SGDI) com o objetivo de auxiliar o Monitoramento e Gestão de Riscos para o Departamento de San Martín, na província de Salta, Argentina. Nesta fase, o trabalho propõe a descrição do modelo conceitual para o Banco de Dados Geográficos (BDGeo) e para a aplicação SGDI através do uso da modelagem OMT-G (BORGES; 2001, 2005). O Modelo Conceitual permite uma compreensão de como as informações essenciais para o monitoramento e gestão de riscos estão organizadas, os relacionamentos entre elas, e de como novos dados devem ser gerados e armazenados. Um modelo físico para o banco que será chamado de BDGeo-Salta será construído utilizando o aplicativo TerraView. O BDGeo-Salta vai incorporar dados morfométricos das sub-bacias para o monitoramento do risco potencial de deslizamento de terra. Para isso, será usado um Modelo numérico de 12,5 m de resolução espacial (DEM, do inglês Digital Elevation Model), obtido a partir de imagens ALOS PRISM para o cálculo de direções de fluxo para cada pixel. Linhas de drenagem serão obtidas automaticamente com o GIS SPRING. A delimitação das sub-bacias de forma automática se dará através do processamento da grade de direção de fluxo e dos segmentos extraídos dos canais de drenagem com TerraHidro. Parâmetros morfométricos (declividades entre 25 ° e 50 °; circularidade da sub-bacia e amplitude altimétrica), que são importantes para diagnosticar a vulnerabilidade do terreno, serão obtidos para cada sub-bacia. Eles serão utilizados como variáveis relativas ao condicionamento dos escorregamentos em massa. A técnica AHP (Processo Analítico Hierárquico) será aplicada para uma definição dos pesos associados aos parâmetros analisados. Estas informações serão obtidas através de processamentos e incorporadas ao BDGeo-Salta obedecendo a definição estabelecida em seu Modelo Conceitual OMT-G. Os resultados trazem uma contribuição significativa para a compreensão desses fenômenos e de sua área de influência. Desta forma, o BDGeo-Salta passa a ser um componente do SGDI necessário no planejamento e definição de áreas de uso da terra e da implementação de estratégias de mitigação e de redução de riscos por parte das autoridades de San Martín e da Província de Salta.

Gerenciamento de memória no processo de geração de Grade Irregular Triangular na TerraLib

Ricardo Pontes Bonfiglioli
A Grade Irregular Triangular (TIN, do inglês Triangulated Irregular Network) é uma estrutura de dados usada em Sistemas de Informações Geográficas na modelagem de terrenos possibilitando a análise topográfica. A geração de TIN na biblioteca TerraLib é feita pela Triangulação de Delaunay. Foi feito um estudo de caso da geração de TIN na TerraLib com uma amostra grande de pontos de entrada previamente armazenada em banco de dados e constatou-se que o processo da triangulação foi impedido devido a falta de espaço na memória principal. Pretende-se estudar a implementação atual e incluir uma divisão do processamento com armazenamentos de soluções intermediárias de triangulações em banco e posteriores correções destas triangulações para solucionar o problema de espaço em memória.

Interface genérica de operações geográficas baseadas em operadores de extensões espaciais

Ruan Andrade (ouvinte)
A evolução dos Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados (SGBDs) tem proporcionado uma variedade de funcionalidades desempenhando papel importante em diversas aplicações. No entanto, a grande variedade de SGBDs e de funcionalidades disponíveis tornam necessária a implementação de camadas de abstração de dados que forneçam uma API consistente escondendo as especificidades de cada SGBD permitindo o desenvolvimento de aplicações com maior desacoplamento, flexibilidade e de fácil manutenção e teste. A biblioteca de código aberto TerraLib 5, hoje sendo desenvolvida no INPE, possui suporte a diferentes SGBDs e um modulo de acesso a dados que se encarrega de gerenciar com qual SGBD ela irá se comunicar, qual dialeto utilizar e quais as capacidades que esse SGBD suporta. Nesse trabalho pretende-se implementar o acesso as funções primitivas de agregação e intersecção, amplamente utilizadas em aplicações espaciais, compatíveis com PostGis e SpatiaLite, visando a escalabilidade na implementação de novas funções.

Algoritmo de Classificação de Polígonos utilizando a TerraLib 5

Henrique Asakura (ouvinte)
Diversas imagens de satélite são recebidas diariamente para interpretação e análises estatísticas. Uma das aplicações sobre essas imagens é o monitoramento de desmatamento da Amazônia. Para esse tipo de análise, os interpretadores geram polígonos que representam as áreas correspondentes nas imagens de satélite. Por fim, esses polígonos são classificados de acordo com o tipo de área (desmatamento, água, nuvem, entre outros). Este trabalho consiste em um algoritmo de classificação de polígonos utilizando a TerraLib 5 como biblioteca base.

Título (???)

Taynara Araújo Soares
neo4J

Título (???)

Carlos Frederico de Carvalho Macedo
Exemplo pgRouting

Título (???)

Gustavo Furtado
Exemplo openSearch